Skip to content

Abres - Associação Brasileira de Estágios

Jovens longe da sala de aula geram gastos ao país

Análise de especialistas relacionam a evasão escolar à perda de bilhões de reais

O Brasil conta com mais de 11 milhões de indivíduos com idade entre 15 e 29 anos fora da escola, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2017. Embora bastante grave, o impacto disso não para por aí. Segundo o economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, Ricardo Paes, a evasão escolar na adolescência faz o país ter uma perda de R$ 151 bilhões por ano.

Uma das maneiras de reverter as estatísticas é investir na trajetória acadêmica de quem está nesse grupo e o estágio pode ser uma peça indispensável para mudar o cenário. Até porque a prática se mostra uma excelente patrocinadora de carreiras. Entretanto, a porcentagem de estagiários ainda é baixa quando comparamos com quem está apto a realizar a atividade. Afinal, são mais de 17 milhões de universitários e secundaristas e, desses, apenas 1 milhão atuam estagiam. Portanto, entender os benefícios desse estilo de contratação é essencial.

A proposta é exatamente para incentivar os estudos: segundo a lei 11.788, só pode estagiar quem estiver regularmente matriculado em uma instituição de ensino médio, técnico, superior ou nos dois anos finais do EJA (Ensino de Jovens e Adultos). Desse modo, com o pagamento da bolsa-auxílio, na modalidade não-obrigatória, é possível manter o jovem em sala de aula por mais tempo. Os ganhos são econômicos e sociais.

Além disso, as vantagens não são focadas apenas para quem é contratado: quem investe nos mais novos também tem grandes ganhos. Segundo a Lei 11.788, a empresa com as portas abertas a estagiários são isentas das normas aplicadas a funcionários CLT. Assim, FGTS, 13º salário, verbas rescisórias não são obrigatórias para os estudantes. Isso é feito justamente para incentivar os empreendimentos a abrirem suas portas para quem mais precisa.

É válido ponderar: quem tem pouca ou nenhuma experiência pode acrescentar - e muito - no cotidiano organizacional, pois quem está nesse perfil tem bastante energia, está apto a aprender e pode ser direcionado a uma posição de sucesso com maior facilidade. Por isso, não deixe de investir no estágio. Isso será de grande ganho para seu negócio e para todos os brasileiros!

Seme Arone Junior é presidente da Abres - Associação Brasileira de Estágios