Skip to content

Abres - Associação Brasileira de Estágios

:: 18/08/2019 | R7 |

Jovens querem mais vagas de estágio

De acordo com a Abres, o Brasil tem hoje 8,2 milhões de estudantes de nível superior, mas apenas 8,9% deles estão estagiando

Com o mercado em crise e o desemprego em alta, se inserir no mercado de trabalho não vem sendo uma tarefa simples para os profissionais e estagiários, que ainda contam com poucas vagas disponibilizadas. Nesse contexto o Dia do Estagiário é comemorado no dia 18 de agosto, e é visto como fundamental para que estudantes aprendam na prática a importância de uma sonhada vaga de trabalho.

Apesar de beneficiar os estudantes, a realidade no que se diz respeito a oportunidade de vagas de estágio no Brasil é preocupante, mesmo com a Nova Lei do Estágio ter completado 10 anos em outubro do ano passado. No Brasil existem 8,2 milhões de estudantes no nível superior, e 9,3 milhões no ensino médio e técnico, segundo o Ministério da Educação (MEC). Porém, destes apenas 740 mil (8,9%) do ensino superior estagiam, enquanto 260 mil do ensino médio e técnico tem a oportunidade segundo a Associação Brasileira de Estágios (Abres).

Para o presidente da Abres, Seme Arone Junior, o estágio além de oferecer um aprendizado prático, serve como uma ferramenta para driblar o desemprego entre os jovens. “O estágio surge como ferramenta essencial para quem quer ingressar no mercado e garantir a formação profissional. A atividade torna-se fundamental oferecendo benefícios para as empresas e estudantes, adquirindo a tão requisitada experiência para iniciar a sua trajetória e desenvolve competências diversas. É o momento ideal para aprender mais sobre o ambiente corporativo, a carreira escolhida e a rotina de trabalho”, disse.

De acordo com a gerente do Instituto Euvaldo Lodi - Pernambuco (IEL-PE), Juliana Nogueira, o estágio é importante para formação profissional, e destacou a importância de estar atento aos direitos dos estudantes. “Tem uma importância para o profissional que está se inserindo no mercado, ele passa conhecimento, que ele vai validar a escolha profissional. Alguns direitos o estudante nem sabe que tem, como o seguro contra acidentes pessoais de forma obrigatória e a empresa precisa garantir, a redução da carga horária em 50% nos períodos de prova, a carga horária máxima de estágio, que são 30h semanais, podendo chegar às 40h caso o estudante esteja cursando estágio obrigatório”, apontou Juliana.

A estudante de psicologia, Rebecca Guimarães, de 22 anos, é uma das estudantes que tem um estágio atualmente. A jovem está no segundo período do curso já conseguiu uma oportunidade no setor de Recursos Humanos da Unibra, e acredita que a redução de 50% da carga horária do estNo Brasil existem 8,2 milhões de estudantes no nível superior, e 9,3 milhões no ensino médio e técnico, segundo o Ministério da Educação (MEC). Porém, destes apenas 740 mil (8,9%) do ensino superior estagiam, enquanto 260 mil do ensino médio e técnico tem a oportunidade segundo a Associação Brasileira de Estágios (Abres).

Para o presidente da Abres, Seme Arone Junior, o estágio além de oferecer um aprendizado prático, serve como uma ferramenta para driblar o desemprego entre os jovens. “O estágio surge como ferramenta essencial para quem quer ingressar no mercado e garantir a formação profissional. A atividade torna-se fundamental oferecendo benefícios para as empresas e estudantes, adquirindo a tão requisitada experiência para iniciar a sua trajetória e desenvolve competências diversas. É o momento ideal para aprender mais sobre o ambiente corporativo, a carreira escolhida e a rotina de trabalho”, disse.

De acordo com a gerente do Instituto Euvaldo Lodi - Pernambuco (IEL-PE), Juliana Nogueira, o estágio é importante para formação profissional, e destacou a importância de estar atento aos direitos dos estudantes. “Tem uma importância para o profissional que está se inserindo no mercado, ele passa conhecimento, que ele vai validar a escolha profissional. Alguns direitos o estudante nem sabe que tem, como o seguro contra acidentes pessoais de forma obrigatória e a empresa precisa garantir, a redução da carga horária em 50% nos períodos de prova, a carga horária máxima de estágio, que são 30h semanais, podendo chegar às 40h caso o estudante esteja cursando estágio obrigatório”, apontou Juliana.

A estudante de psicologia, Rebecca Guimarães, de 22 anos, é uma das estudantes que tem um estágio atualmente. A jovem está no segundo período do curso já conseguiu uma oportunidade no setor de Recursos Humanos da Unibra, e acredita que a redução de 50% da carga horária do estudante em semana de provas da faculdade é um ponto positivo para o estudante. “O estágio é de suma importância para colocar em prática o que se aprende e as dicas dadas pelos professores. É muito positivo a cada seis meses ter um período de recesso. Na semana de provas a gente tem um horário reduzido, para podermos separar um horário para os estudos”, apontou a estudante.

Já Renam Cardoso, de 20 anos, formado em técnico administrativo pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), foi estagiário no Lucilo Maranhão Diagnósticos, e ao terminar o período de aprendizado foi contratado pela empresa como recepcionista. O jovem destaca que o período foi importante por auxiliar no crescimento da carreira. “Me ajudou no crescimento profissional e através dele eu pude demonstrar as minhas aptidões e qualidades, e usei a oportunidade para tentar convencê-la de que eu seria um forte candidato a entrar no seu quadro de funcionários e conquistar o meu espaço. Foi uma sensação ótima ter o meu trabalho reconhecido e reconhecimento é o feedback positivo no qual reafirma que você estava desempenhando seu trabalho de maneira correta”, apontou Renam. udante em semana de provas da faculdade é um ponto positivo para o estudante. “O estágio é de suma importância para colocar em prática o que se aprende e as dicas dadas pelos professores. É muito positivo a cada seis meses ter um período de recesso. Na semana de provas a gente tem um horário reduzido, para podermos separar um horário para os estudos”, apontou a estudante.

Já Renam Cardoso, de 20 anos, formado em técnico administrativo pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), foi estagiário no Lucilo Maranhão Diagnósticos, e ao terminar o período de aprendizado foi contratado pela empresa como recepcionista. O jovem destaca que o período foi importante por auxiliar no crescimento da carreira. “Me ajudou no crescimento profissional e através dele eu pude demonstrar as minhas aptidões e qualidades, e usei a oportunidade para tentar convencê-la de que eu seria um forte candidato a entrar no seu quadro de funcionários e conquistar o meu espaço. Foi uma sensação ótima ter o meu trabalho reconhecido e reconhecimento é o feedback positivo no qual reafirma que você estava desempenhando seu trabalho de maneira correta”, apontou Renam.