Skip to content

Abres - Associação Brasileira de Estágios

:: 25/08/2019 | Segs |

O estágio para EJA (Ensino de Jovens e Adultos)

Entenda as regras para esse estilo de contratação

É errado associar o estágio apenas aos universitários. Afinal, essa prática também é aplicada para alunos do nível médio ou técnico. O objetivo, em qualquer contexto, é promover o desenvolvimento de quem se insere no mercado nessa posição.

A Educação de Jovens e Adultos foi criada como um modo de garantir ainda mais o direito de educação para o Brasil inteiro. O projeto contempla todas as etapas de ensino e é destinado a quem não teve acesso à escola na idade apropriada. Assim, os cidadãos com o desejo de concluir seus estudos podem procurar instituições adeptas à ideia.

Considerar abrir oportunidades para esse grupo pode favorecer o desenvolvimento das empresas. Afinal, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), somente em 2018, foram mais de 3,5 milhões de matrículas na modalidade.

Além de ajudar esses indivíduos a financiarem suas trajetórias acadêmicas, outro benefício é garantir a entrada deles no ambiente corporativo para a construção de carreira. Porém, é necessário se atentar: os ingressados do EJA no nível fundamental só poderão estagiar se estiverem nos últimos dois anos da etapa. Para quem já está no médio, não há essa limitação.

São diversos os ganhos de uma organização ao investir no ato educativo escolar supervisionado. Além da isenção das obrigações destinadas a funcionários CLT, como FGTS e 13º salário, a companhia tem a chance de contar com profissionais dispostos a aprender e a alcançar resultados de maneira eficaz.

Portanto, acredite no impacto positivo dessa prática para o país. Isso fará diferença para a construção de um futuro digno e próspero para a nação!

Seme Arone Júnior é presidente da Abres - Associação Brasileira de Estágios