Skip to content

Abres - Associação Brasileira de Estágios

::14-12-18 | SEGS

Busca pelo estágio exige preparação e qualificação de candidatos

No Dia do Estagiário, em 18 de agosto, confira algumas dicas para se destacar na procura pelo primeiro emprego

Conseguir o primeiro emprego é o sonho de muitos jovens, mas é uma tarefa cada vez mais complicada com o passar dos anos. A falta de experiência, a necessidade de conciliação com os estudos e a intensa competitividade são impeditivos para o ingresso no mercado de trabalho.

Tanto que a exigência de experiência é apontada por 77% dos brasileiros como a maior barreira na hora de arranjar o primeiro emprego, segundo a pesquisa da Trendsity. Para complicar, entre aqueles que fazem um curso superior, apenas 9,2% estão estagiando, de acordo com a Associação Brasileira de Estágios (ABRES).

Em 18 de Agosto é celebrado o "Dia do Estagiário", data instituída em 1982 e que relembra o decreto que regulamentou a lei sobre o estágio. Apesar do número baixo, ele ainda representa a porta de entrada dos jovens na carreira que desejam ingressar. Por isso, é preciso escolher bem qual profissão deseja exercer e, principalmente, buscar a qualificação necessária para se destacar nos processos seletivos e conseguir a tão sonhada vaga.

Mas não apenas as competências técnicas. Hoje, as empresas procuram e valorizam pessoas multidisciplinares, que possuem boa comunicação, criatividade, desenvoltura e, principalmente, que estejam antenados com o que acontece no setor e pensem em soluções inovadoras.

Em suma: a procura pelo primeiro emprego pode até estar mais difícil, mas quem se preparar e se dedicar com afinco não só conseguirá um trabalho, como também melhorará como profissional em suas carreiras. Confira algumas dicas:

Tecnologia ajuda, mas é preciso ficar atento

A busca pelo estágio passou por uma transformação nos últimos anos. Se antes era preciso bater na porta de empresas ou ficar de olho em feiras e congressos, hoje é possível se candidatar e até conseguir a vaga com poucos cliques na Internet.

"Conseguimos automatizar as buscas, mandando sempre, de forma segmentada, as melhores vagas com o perfil do candidato. Não é difícil conseguir o primeiro estágio, mas percebemos o pouco interesse dos jovens. Há um grande número de perfis incompletos e a falta em entrevista de estágio chega a 35%", comenta Henrique Calandra, fundador do WallJobs.

A startup foi criada em 2015 por universitários que desejavam desburocratizar a contratação de estagiários no Brasil. Em três anos, a plataforma já ofereceu 45 mil oportunidades e possui mais de 1,5 milhão de membros cadastrados.

Na falta de experiência profissional, valorize outras habilidades

A quantidade de perfis incompletos tem relação também com a falta de experiência profissional de muitos candidatos a estágio. Grande parte dos estudantes não possui histórico na área e nem uma grande quantidade de certificados que atestem seu domínio em um tema. Então, como é possível chamar a atenção de recrutadores?

"Há outros pontos que os avaliadores levam em consideração que vão muito além das informações apresentadas no currículo. É preciso desenvolver habilidades que façam a diferença no dia a dia da corporação, como extrair seu potencial criativo, analisar criticamente um fato, ser capaz de gerir o tempo e, principalmente, a comunicação", pontua Maíra Pimentel, cofundadora da Tamboro.

A empresa nasceu em 2011 e atua no desenvolvimento de habilidades essencialmente humanas, conhecidas como soft skills, com cursos online e projetos voltados aos profissionais e às corporações. Atualmente, mais de 50 mil pessoas já foram impactadas com a metodologia da organização por meio de sua plataforma.

Busque vagas que estejam alinhadas com seus objetivos

Uma alternativa para que a busca pelo estágio e primeiro emprego seja mais efetiva é filtrar vagas e anúncios que estejam alinhadas com seus objetivos e metas de vida. Em um cenário de crise econômica pode parecer loucura "escolher" um emprego, mas isso ajuda no seu crescimento profissional.

"Evite pensar na remuneração e nos benefícios, mas considere o fato de onde realmente gostaria que seu talento fosse desenvolvido. Reflita sobre o tipo de ambiente que lhe favorece para ser mais produtivo. Não dá para imaginar, por exemplo, que um vegetariano dê o seu melhor em uma distribuidora de carne", exemplifica a coaching Allesandra Canuto.

Ela é sócia e palestrante da AlleaoLado, empresa focada em consultoria e coaching que incentiva empresas e indivíduos a potencializarem seus resultados. A profissional também é especialista em gestão estratégica de conflitos e negociação, facilitação e treinamento para estimular negócios por meio do desenvolvimento de pessoas.

Fique antenado às tendências e às profissões "do futuro"

O relatório "Futuro do Trabalho", elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, indica que 65% das crianças que estão nos primeiros anos da escola irão trabalhar em empregos que ainda não foram criados. Estar antenado a estas tendências ajuda o estudante a se destacar no mercado de trabalho.

"Para os que ainda estão em dúvida na escolha da carreira, as melhores profissões são aquelas correlacionadas à sustentabilidade, infraestrutura, saúde e qualidade de vida, marketing e vendas e tecnologia da informação. Mas é necessário observar essas tendências, avaliando as oportunidades de mercado para direcionar sua carreira", explica Edson Moretti Júnior, gerente de gestão de pessoas do Grupo Impacta Tecnologia.

A instituição já está há 30 anos no mercado e ofereceu capacitação técnica para mais de 1 milhão de alunos e 28 mil empresas, graças aos mais de 300 treinamentos e 40 certificações ministradas. Além disso, desde 2003, possui a Faculdade Impacta Tecnologia, com cursos de graduação nas áreas de Gestão, Design, Tecnologia da Informação e Mercado Digital.

Escolha uma formação que possibilite seu crescimento integral

Mas antes de sair procurando um curso que tenha possibilidade de crescimento, é preciso fazer uma avaliação interna: essa disciplina atende todas as minhas escolhas? Eu terei um crescimento profissional com desenvolvimento crítico e capaz de crescer em diferentes áreas? Essas questões precisam ser respondidas antes de se matricular em uma faculdade.

"Hoje, os jovens chegam muito cedo para a escolha de uma formação. O mais importante é ele perceber alguma afinidade daquele curso com seus interesses. Além disso, o curso deve buscar a formação integral do jovem, possibilitando a ele identificar como o curso pode favorecer suas escolhas", afirma Nilson Leis, pró-reitor do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL).

A instituição de ensino superior possui quatro campi (Americana, Campinas, Lorena e São Paulo) no estado de São Paulo. Atualmente, tem mais de 10 mil alunos em 44 cursos presenciais e outros 10 mil estudantes na modalidade EAD (Ensino à Distância), além de 1500 alunos de pós-graduação.